Cisto ósseo aneurismático occipital.  TC e RM, destaques
..
Masc. 27 a.  História atual. Massa na região da nuca há cerca de 2 meses, acompanhada de cefaléia occipital e dor à movimentação cervical.  Relata vômitos, desorientação têmporo-espacial e alterações da memória recente (não lembra se já almoçou). Nega convulsões, perda de consciência ou febre. 

Exame massa de consistência líquida na região occipital direita, com dor intensa à movimentação da cabeça. Nistagmo vertical para cima. Marcha alargada. Sem alterações de pares cranianos, sinal de Romberg negativo.  Força preservada nos 4 membros, sem alterações de sensibilidade. Borramento de papila bilateral. Sintomas de hidrocefalia aguda. 

TC e RM de crânio atuais (abaixo) lesão expansiva em regiões occipital e cervical posterior, com lise óssea, invasão da fossa posterior e tecidos moles da nuca, compressão cerebelar, deformação do IV ventrículo e hidrocefalia.  Internação para derivação ventrículo-peritonial de urgência e posterior remoção cirúrgica da lesão. 

Antecedentes.  Politraumatizado grave em acidente de moto contra poste sem capacete há cerca de 2 anos. Teve múltiplas fraturas de face, afundamento do osso zigomático, seio frontal e maxila esquerdos, fratura de primeiro arco costal e clavícula também à esquerda. Internado em Glasgow 12, necessitou intubação orotraqueal e ventilação mecânica por 11 dias. Drenagem de pneumotórax à esquerda. TC de crânio logo após o trauma edema cerebral difuso, hemorragia subaracnóidea, hemorragia intraparenquimatosa frontal esquerda, hematoma subdural.  Contusões nos polos frontal e temporal esquerdos giros reto, orbitários medial e lateral. Apagamento difuso de sulcos e do sistema ventricular.   Quando extubado confuso, não atendia comandos verbais. Provável broncoaspiração de alimentos. Ficou em acompanhamento ambulatorial para avaliação de lesão axonal difusa. 

....
Tomografia computadorizada.  -  Melhores cortes  - AXIAIS.    Grande lesão expansiva cística multiloculada em região cervical posterior, osteolítica, destruindo a metade direita da escama do osso occipital e porção petrosa do osso temporal.  Tem grande efeito de massa, com invasão da fossa posterior, compressão cerebelar, deformação do IV ventrículo e hidrocefalia. Na TC já é possível observar múltiplos cistos com densidade de partes moles, com níveis líquido-líquido, e microcalcificações nos septos entre os cistos. Com contraste há discreta impregnação (ver porém RM). 
Sem contraste Com contraste Janela óssea 
..
Sem contraste, detalhes 
..
Coronal sem contraste Janela óssea
..
Sagital sem contraste
Mais imagens deste exame
..
..
..
Ressonância magnética - Melhores cortes  - AXIAIS.   Grande lesão cística bem delimitada, multiloculada, que destrói a escama do occipital à direita, penetra na fossa posterior deslocando o cerebelo para a esquerda e para cima, e avança para as partes moles da região da nuca. Em T1 sem contraste os cistos são menos evidentes. Há focos de hipersinal, provavelmente devidos à metemoglobina, produto de degradação da hemoglobina. Com contraste, há intensa impregnação dos septos entre os cistos, devida à alta vascularização dos mesmos e ausência de barreira hemoencefálica. Em T2, observa-se aspecto em colméia com níveis líquidos no interior dos cistos, devidos à decantação dos elementos sólidos do sangue durante o exame (paciente em posição supina). 
T1 SEM CONTRASTE.  Focos de hipersinal por metemoglobina T1 COM CONTRASTE. Impregnação forte dos septos entre os cistos T2. Níveis líquido-liquido (semelhantes a hematócrito). Aspecto multiloculado
..
T2 FLAIR. Edema intersticial da substância branca periventricular, por transudação liquórica transependimária. (Imagens após derivação liquórica).
No FLAIR, o aspecto da lesão é semelhante ao em T2.  Chama a atenção o hipersinal do tecido nervoso periventricular, conseqüência da hidrocefalia e hipertensão intraventricular, devidas à obstrução do IV ventrículo, comprimido pela lesão. O líquor sob pressão é forçado através do epêndima e embebe o tecido nervoso (transudação liquórica transependimária). 
O FIESTA é uma seqüência pesada em T2 que produz cortes finos com alto contraste, permitindo melhor visualização dos níveis líquidos nos cistos.  Notar que os níveis líquido-líquido só são observáveis em cortes axiais e sagitais. Nos cortes coronais, o plano do corte é paralelo ao nível do líquido, que, portanto, não aparece.
..
T2 FIESTA
..
CORONAIS, T1 T1 COM CONTRASTE T2
..
SAGITAIS, T1 SEM CONTRASTE T1 COM CONTRASTE
Mais imagens deste exame
....
Macro, lâminas escaneadas, texto HE - septos membranosos HE - neoformação óssea nos septos
Para Anatomia Patológica deste caso, clique  »
..
Outros tumores ósseos
imagempatologia
Este assunto na graduação
Textos sobre cisto ósseo aneurismático (1) (2)
..
Neuropatologia
- Graduação
Neuropatologia - 
Estudos de casos
Neuroimagem
- Graduação
Neuroimagem - 
Estudos de Casos
Roteiro 
de aulas
Textos 
de apoio
Correlação 
Neuropatologia - Neuroimagem
Índice alfabético - Neuro Adições recentes Banco de imagens - Neuro Textos ilustrados Neuromuscular Patologia - outros aparelhos Pages in English
..
..