Osteossarcoma de base  de crânio, secundário a radioterapia para craniofaringioma
Fem.  31 a. Em 1992 foi operada de craniofaringioma, complementada por radioterapia, e ficou com panhipopituitarismo.  RM em 2004 sela alargada, ausência de neoplasia.   Em janeiro de 2006, nova RM -  grande tumor de base de crânio.  Biópsia transnasal osteossarcoma.  Tumor foi possivelmente induzido pela RT para o craniofaringioma. 

 
RESSONÂNCIA  MAGNÉTICA 
..
Grande tumor de base de crânio, com centro no clivus, invade seio esfenoidal, células etmoidais, sela túrcica, seios cavernosos, obstrui A. carótida interna D intracavernosa e reduz a E. Projeta-se para as fossas médias bilateralmente, comprimindo os lobos temporais, e posteriormente a partir do clivus, comprimindo a ponte e a A. basilar. O tumor é heterogêneo, tem isosinal em T1 e T2 e impregna-se irregularmente por contraste. 
..
CORTES  AXIAIS, T1 COM CONTRASTE. 
Tumor oblitera totalmente a A. carótida interna D no seio cavernoso e desloca e comprime a A. carótida interna E.  Projeta-se para trás deformando a ponte e comprimindo a A. basilar.  Sela túrcica totalmente preenchida pela massa neoplásica. 
CORTES  AXIAIS  FINOS, T1 COM CONTRASTE
..
T2
..
CORTES  CORONAIS, T1 COM CONTRASTE
CORTES  CORONAIS  FINOS, T1 COM CONTRASTE.  Tumor penetra na cavidade nasal D., destruindo o etmóide,  oblitera a sela túrcica, projeta-se superiormente comprimindo o quiasma óptico, e lateralmente os lobos temporais.  A A. carótida interna D não é mais visível como flow void, ainda presente na correspondente E. 
..
CORTES  SAGITAIS, T1 COM CONTRASTE
..
Para biópsia desta paciente, clique  »
Neuropatologia
- Graduação
Neuropatologia - 
Casos Complementares
Neuroimagem
- Graduação
Neuroimagem - 
Casos Complementares
Correlação 
Neuropatologia - Neuroimagem
VOLTA À PÁGINA ÍNDICE