Departamento de Anatomia Patológica

Patologia Ginecológica

         Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.



Caso 120: 75 anos, curetagem por sangramento pós-menopausa.


Figura 1



Figura 2



Figura 3



Figura 4



Figura 5



Figura 6



Figura 7

Descrição microscópica: na Fig.1 vemos um fragmento de pólipo endometial do tipo atrófico, mostrando área de hipercelularidade à esquerda, que em maior aumento (Fig. 2, 3, 4, 5) é constituída por epitélio com atipia acentuada, em arranjo sólido ou papilífero, constituindo o carcinoma seroso. Nas Fig. 4 e 6, um segundo componente pode ser observado, mesenquimatoso, atípico, pouco diferenciado, com mitoses frequentes e células degeneradas. A reação imuno-histoquímica para p53 demonstra positividade em ambos componentes da lesão.

Diagnóstico: Tumor mülleriano misto maligno ou Carcinossarcoma com componente epitelial de carcinoma seroso, crescendo em pólipo atrófico da mucosa endometrial.

Comentário: TMMM corresponde a menos de 5% dos cânceres uterinos; é geralmente polipoide na cavidade e constituído de 2 componentes: carcinomatoso e sarcomatoso, difusamente misturados. É neoplasia de comportamento agressivo e geralmente a presença do carcinoma seroso ou de células claras na lesão, indica pior prognóstico. Estudos moleculares mostram que a maioria dos TMMM é monoclonal, apresentando diferenciação sarcomatosa a partir do carcinoma.