Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
  pelve
  peri-anal
  vagina
  vulva
  tuba
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 153: 58 anos, com sangramento irregular. Ao exame físico, colo tumoral, com aspecto difusamente aumentado, globoso ou em barril. Foi recebida a peça cirúrgica da histerectomia (Fig.1).


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: lesão tumoral do colo uterino constituída por neoplasia epitelial invasiva, com áreas sólidas e glandulares, com frequentes êmbolos carcinomatosos (Fig.2). No maior aumento, consegue-se distinguir na neoplasia, a diferenciação glandular e a escamosa (Fig. 3). O padrão infiltrativo é marcado (Fig. 4) e notam-se vasos com trombos ricos em células carcinomatosas (Fig. 5).

Diagnóstico: Carcinoma adeno-escamoso do colo uterino com múltiplos êmbolos carcinomatosos.

Comentário: O carcinoma adeno-escamoso é composto por um mistura dos componentes glandular e escamoso, detectáveis morfologicamente, sem a necessidade de reações especiais. Deve ser distinto de um tumor de colisão, onde ambos elementos se tocam, mas não se misturam. Outro diagnóstico diferencial importante é a invasão do colo uterino por tumor primário do endométrio, onde as reações imuno-histoquímicas auxiliam, sendo p16 positivo no tumor primário do colo e receptores hormonais positivos no primário do endométrio.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas