Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 146: 61 anos, nódulo em lábio superior do colo uterino, com 1,5 cm de diâmetro.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5




Figura 6



Descrição microscópica: lesão bem delimitada, não capsulada, superficial, que mostra uma zona subepitelial distinta, separada do tumor, conhecida como zona de Grenz (Fig. 1). O tumor é moderadamente celular, constituído por células fusiformes ou ovoides, sem atipia e sem mitoses, com núcleo ondulado (Fig. 2, 3) Há fibras colágenas de permeio e as áreas variam de padrão fibroso, fasciculado, edematoso ou hialinizado, com densas fibras colágenas (Fig. 4, 5). Os vasos são predominantemente de paredes finas (Fig. 6), porém vasos mais espessos podem ser observados nos tumores maiores.

Diagnóstico: Miofibroblastoma superficial cervico-vaginal ou do trato genital inferior

Comentário: estes tumores ocorrem em ampla faixa etária (de 23 a 80 anos) e se apresentam como um nódulo ou pólipo superficial. A maioria dos casos é descrito na vagina, porém podem ser observados também no colo uterino e na vulva. Em 20% dos casos está associado ao uso de Tamoxifeno ou hormonioterapia.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/