Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 135: 22 anos, massa pélvica palpável e ascite. Foi feita punção com agulha, guiada por ultrasom.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: material constituído por proliferação de células epiteliais em arranjo glandular e papilífero (Fig. 1, 2, 3), com células monótonas, que mostram atipia leve, raras mitoses e presença de corpos psamomatosos (Fig. 4, 5)

Diagnóstico: Carcinoma seroso de baixo grau do ovário com disseminação para a cavidade peritoneal.

Comentário: O carcinoma seroso de baixo grau é raro e corresponde a menos de 10% dos carcinomas serosos do ovário. Na maioria dos casos se apresenta em estádio avançado ao diagnóstico. Na morfologia, as células são mais monótonas e as figuras de mitose são raras, com média de 2 a 4 mitoses em 10 campos de grande aumento. Diferente do carcinoma seroso de alto grau, não tem mutação do p53, o genoma é mais estável, relacionado às mutações do BRAF e Kras. Se confinado ao ovário tem bom prognóstico com a cirurgia, entretanto, em estádio avançado, não responde bem à quimioterapia com a platina.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/