Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 134: 35 anos, lesão tumoral, polipóide no colo uterino, com 2,5 cm no maior eixo.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5




Figura 6



Descrição microscópica: tumor polipóide constituído por 2 componentes: epitelial e mesenquimatoso (Fig. 1, 2, 3). O epitelial forma glândulas revestidas por epitélio cilíndrico simples, sem atipias (Fig. 2, 3). O componente mesenquimatoso é predominante na lesão, tem aspecto hipercelular, com atipia e hipercromatismo nuclear (Fig. 4), apresentando aspecto semelhante ao estroma endometrial, com arteríolas espiraladas (Fig. 5) e mitoses freqüentes (Fig. 6).

Diagnóstico: Adenossarcoma polipóide do colo uterino, com supercrescimento sarcomatoso.

Comentário: O adenossarcoma é um dos tipos de tumor mülleriano misto, onde o elemento epitelial é benigno e o mesenquimatoso é um sarcoma. É mais freqüente no endométrio, porém há casos descritos em outros locais do trato genital feminino, como este, que é do colo uterino. Geralmente é tumor de baixa malignidade, com recidivas freqüentes. Chamamos de supercrescimento sarcomatoso quando mais de 25% da neoplasia é composto pelo sarcoma. A presença de componentes heterólogos ou o supercrescimento sarcomatoso torna a neoplasia mais agressiva.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/