Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 118: 45 anos, histerectomia por mioma uterino. À macroscopia, lesão nodular de 3 cm, bem delimitada.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: neoplasia constituída por células redondas, com citoplasma eosinófilo, granular, núcleos arredondados, com leve atipia, sem figuras de mitose, dispostas em ninhos ou cordões plexiformes, de permeio a material hialinizado eosinófilo (Fig. 1,2,3,4,5). Apresenta vasos com parede espessa (Fig.1).

Diagnóstico: Leiomioma epitelióide do corpo uterino.

Comentário: Os tumores de músculo liso do tipo epitelióide são pouco comuns e à macroscopia podem ser semelhantes ao tipo usual, porém, alguns casos são mais macios e podem apresentar necrose e hemorragia. As células são arredondadas, arranjadas em cordões ou ninhos de permeio a tecido hialinizado em quantidade variada. Em alguns casos, as células podem ser claras. Os benignos apresentam apenas leve atipia nuclear e as mitoses são infrequentes (de 0 a 1 mitose em 10 campos de grande aumento). Pela imuno-histoquímica podem expressar desmina, h-caldesmom e citoqueratinas, dado este que pode confundir o diagnóstico com neoplasia epitelial.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/