Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 81: 41 anos, pólipo cervical com 2 cm de diâmetro e hipótese de mioma parido.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: fragmento polipóide constituído por glândulas e estroma hipercelular ao redor (Fig. 1, 2, 3). O epitélio glandular é típico (Fig. 4) e no estroma notam-se leve atipia celular e algumas figuras de mitose (cerca de 4 figuras em 10 campos de grande aumento) (Fig. 5).

Diagnóstico: Adenossarcoma polipóide do colo uterino.

Comentários: O adenossarcoma é um tumor misto mülleriano, de baixo grau de malignidade, que ocorre mais no corpo do que no colo uterino. Muitas vezes existe a história prévia de pólipos recidivantes. A arquitetura da lesão é característica, com epitélios müllerianos variados e com hipercelularidade estromal peri-glandular, onde é observada atipia celular (leve ou moderada) e figuras de mitose. Componentes heterólogos no estroma, como rabdomioblastos, são raramente descritos. Em alguns casos o componente estromal passa a ser predominante, o que se denomina adenossarcoma com supercrescimento sarcomatoso, associado a comportamento mais agressivo.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/