Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 56: 65 anos com sangramento pós-menopausa e tumor de ovário direito.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5




Figura 6



Descrição microscópica: neoplasia sólido-cística constituída por túbulos e áreas sólidas, revestidos por células de núcleos com cromatina regular, leve atipia e raras mitoses (Figuras 1 e 2). Focalmente notam-se células tecais, com citoplasma amplo e eosinófilo no estroma, formando focos de hipertecose (Figuras 3 e 4). As reações imunoistoquímicas foram positivas para CK7 (Figura 5) e EMA (Figura 6)

Diagnóstico: Adenocarcinoma endometrióide bem diferenciado do ovário, variante semelhante ao tumor de Sertoli-Leydig. Presença de focos de hipertecose do estroma ovariano.

Comentário: o arranjo arquitetural formando estruturas tubulares bem diferenciadas e as áreas de hipertecose do estroma sugerem a semelhança morfológica com o tumor de Sertoli-Leydig. O sangramento pós-menopausa pode ser explicado pela proliferação das células tecais com produção de hormônio estrogênico. A imunoistoquímioca evidencia a natureza epitelial da neoplasia com positividade para CK7 e EMA.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/