Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 54: 61 anos com tumor uterino subseroso com 6 cm de diâmetro, na região fúndica, consistência macia e cor branco-amarelada


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: limite nítido, porém irregular entre o miométrio e o tumor uterino, que mostra hipercelularidade e células fusiformes (Fig. 1, 2). Em outras áreas, as células são arredondadas com atipias acentuadas (Fig. 3, 4, 5) e alto índice mitótico, com 30 figuras de mitose por 10 campos de grande aumento (Fig. 4).

Diagnóstico: Leiomiossarcoma epitelióide, com áreas fusocelulares e alto índice mitótico.


Comentário: Os tumores de músculo liso epitelióides são pouco comuns e compostos predominantemente por células poligonais e arredondadas. Macroscopicamente se assemelham ao tipo usual, porém podem ser mais macios e amarelados. As células têm citoplasma amplo, claro ou eosinófilo, com núcleos arredondados e com polimorfismo variado e pode haver células fusiformes de permeio. Podem ser benignos ou malignos e o diagnóstico de leiomiossarcoma epitelióide é baseado em: atipia celular evidente, índice mitótico maior que 3 ou 4 figuras de mitose por 10 campos de grande aumento e geralmente há áreas de necrose. Expressam marcadores de músculo liso e citoqueratinas.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/