Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 27: 54 anos. Histerectomia total abdominal por mioma.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5




Figura 6



Descrição microscópica: nódulo bem delimitado constituído por 2 populações celulares: células musculares lisas e células mais arredondadas, com estroma frouxo onde são observados vasos pequenos e delicados semelhantes às arteríolas espiraladas do endométrio (Figuras 1, 2, 3, 4) diferente dos vasos espessos encontrados na área de células musculares lisas (Figura 5). A reação imunoistoquímica para CD10 mostra positividade focal caracterizando as células do estroma endometrial (Figura 6).

Diagnóstico: Estromomioma ou Tumor misto de células musculares lisas e do estroma endometrial do corpo uterino.

Obs: Neoplasia mesenquimatosa benigna de limites nítidos, compressivos, constituída por 2 componentes distintos: célula muscular lisa e do estroma endometrial. O aspecto dos vasos é diferente nos 2 componentes. A reação positiva pelo CD10 delimita as células do estroma endometrial. Neste tipo de tumor, a avaliação dos limites é muito importante, pois se as margens forem infiltrativas o diagnóstico mudará para sarcoma do estroma endometrial de baixo grau.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/