Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 17: 56 anos, Histerectomia por mioma. Achado incidental no colo uterino.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5



Descrição microscópica: Epitélio do colo apresentando áreas de proliferação glandular com dilatações císticas anastomosadas, arredondadas ou irregulares, formando aglomerados. São revestidas por epitélio mucinoso sem atipias, focalmente muito achatado. Esta proliferação se estende no estroma do canal cervical em umaprofundidade de até 5 mm, porém tem contorno lobulado e compressivo.

Diagnóstico: Hiperplasia endocervical do tipo “tunnel cluster”, variante B ou cística.

Comentários: Lesão comum na endocérvice, encontrada em 10% dos colo examinados, principalmente em mulheres peri ou pós-menopausa e multíparas. Pode ser interpretado como quadro de natureza involutiva após hiperplasia endocervical. São descritas 2 variantes morfológicas: A (não cística) e B (cística). A variante cística é a mais comum, como no presente caso. Quando a proliferação glandular avança mais profundamente no estroma cervical, o diagnóstico diferencial é com o adenoma maligno.
O termo poderia ser traduzido como aglomerado de túneis ou labirinto, porém a forma em inglês é mais comumente usada no diagnóstico.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/