Página Inicial
Contato

 Busca

+ Palavras Chave:
   
  colo uterino
  corpo uterino
  endométrio
  ovário
 

 Links

 
 


 
 



 

      Os casos clínicos contidos neste site são fruto das reuniões semanais da Prof. Dra. Liliana De Angelo Andrade com os residentes do Departamento de Anatomia Patológica. O objetivo do site é difundir o conhecimento sobre o assunto ajudando estudantes, residentes e profissionais a manterem-se constantemente atualizados.

 

Caso 16 - 28 anos, já submetida anteriormente à conização com alça diatérmica e no seguimento, citologia com o diagnóstico de ASCUS/AGUS. Feita biópsia de colo uterino.


Figura 1




Figura 2




Figura 3




Figura 4




Figura 5




Figura 6



Descrição microscópica: Epitélio do colo apresentando área de metaplasia tubária (Figuras 1 e 2) adjacente a focode reação granulomatosa do tipo corpo estranho no estroma (secundária ao cone anterior) (Figuras 3 e 4). Nota-se também área de metaplasia escamosa imatura do epitélio endocervical (Figuras 5 e 6).

Diagnóstico: Cervicite crônica inespecífica com metaplasia tubária e metaplasia escamosa imatura do epitélio endocervical. Reação granulomatosa do tipo corpo estranho no estroma cervical.


Comentários: A metaplasia tubária é mais freqüente nas porções mais altas do canal endocervical, porém pode ser observada em nível mais baixo quando há reparação epitelial pós-erosão ou pós-conização do colo uterino. É um tipo de epitélio que no exame citológico pode ser confundido com outras lesões, bem como a metaplasia escamosa imatura, o que justificaria o diagnóstico citológico de incerteza, de ASCUS ou AGUS. Nesta biópsia a presença da reação granulomatosa do tipo corpo estranho demonstra didaticamente a relação entre o cone anterior e a re-epitelização com epitélio metaplásico do tipo tubário.
Contador de visitantes:
website stats
Departamento de Anatomia Patológica
Faculdade de Ciências Médicas
images/logos/